A) Estudo sobre os riscos

As respostas das abelhas a fatores antropogénicos serão avaliadas nos locais de estudo utilizando os dados das abelhas (estado de saúde individual e da colmeia, comportamento de recoleção de alimento, análise de pesticidas nas abelhas e produtos de abelhas) e respetiva interação com outros polinizadores, práticas de gestão e dados ambientais. Um modelo irá avaliar e prever em que medida as mudanças na composição e na estrutura dos elementos da paisagem (incluindo GI ou infraestruturas verdes) e as práticas de gestão (insumos de pesticidas e outras práticas agrícolas) irão influenciar os polinizadores e o serviço de polinização.

B) Determinação da biodiversidade, abundância e distribuição de polinizadores

Serão levadas a cabo campanhas de recolha de amostras de campo utilizando técnicas de captura (armadilhas) e observação visual. As observações de campo das taxas de visita dos polinizadores e as interações entre plantas e polinizadores serão avaliadas antes e após o estabelecimento da GI (infraestrutura verde) e os dados resultantes serão posteriormente utilizados para desenvolver um modelo baseado no agente e uma análise da rede de comunidades de polinizadores em culturas oleaginosas para avaliar o impacto do estabelecimento de novas GIs.

C) Análises Territoriais

Serão criados produtos de cartografia que exibam e modelem a melhoria do potencial da GI nas regiões do projeto. As análises regionais são levadas a cabo tendo em conta os aspetos geográficos, a utilização do solo (incluindo elementos seminaturais), os locais Natura 2000 e a conectividade paisagística, entre outros. Serão gerados produtos cartográficos digitais para o potencial de extensão da GI em algumas das regiões piloto.

A) Desenho de comunidades florísticas otimizadas

Os parceiros irão trabalhar para estabelecer as misturas florais apropriadas para as suas áreas com base em experiências anteriores e informações existentes. Além disso, os parceiros deverão recolher dados de campo sobre a visita dos polinizadores a espécies de plantas locais nos locais-piloto. Este procedimento irá permitir a determinação final de recomendações para as misturas desejáveis.

B) Desenvolvimento de emendas ou corretores de solo especializados para a recuperação de serviços dos ecossistemas

A Poll-Ole-GI irá desenvolver e testar uma mistura ótima de materiais orgânicos aplicados como emendas ou corretores de solo associados à GI intensificada como uma característica de valor acrescentado, reduzindo a contaminação ambiental de pesticidas, herbicidas e nutrientes aplicados nos campos. Espera-se que esta prática possa ser usada para proteger o habitat dos polinizadores, especialmente as espécies que aninham no solo.

C) Estudo da efetividade da GI para melhorar a qualidade do ambiente

O projeto irá avaliar os benefícios da GI relativamente aos polinizadores, produtividade das culturas e qualidade das sementes e do solo em todos os locais-piloto ao longo de dois anos. Os polinizadores das culturas oleaginosas serão estudados em duas escalas espaciais: o campo e a paisagem, os papéis possíveis das pastagens, serviços dos ecossistemas agrícolas e elementos seminaturais para esta última escala.

E) Estudo sobre a viabilidade económica, ambiental e social das ações estabelecidas

A Poll-Ole-GI irá analisar as perceções das partes interessadas sobre o estado e as tendências do serviço de polinização e as suas expetativas relativamente à GI nas culturas oleaginosas locais. Serão realizadas entrevistas semiestruturadas com atores chave previamente identificados (técnica de recolha de amostras em cadeia), utilizando a metodologia Q para descobrir os discursos existentes sobre a utilidade da GI. A aceitação social do desenvolvimento da GI será avaliada nos “grupos de foco” para melhorar a análise de viabilidade. O “Planeamento de cenários” será usado nos grupos focais para avançar a proposta de ideias inovadoras de modo a aumentar a viabilidade da GI.

A) Análise das oportunidades de integração das GIs orientadas para os polinizadores com os atuais quadros de política agrícola e medidas regionais

A Poll-Ole-GI irá analisar a atual situação política e legislativa a nível regional, nacional e comunitário (UE), identificando e recomendando oportunidades específicas de integração e / ou criação de programas, incluindo a análise e identificação de áreas de programas nos programas de desenvolvimento rural. Esta atividade inclui o envolvimento direto das administrações regionais, assim como dos pontos de contacto nacionais e europeus.

B) Comunicação dos resultados à administração pública, empresas do setor oleaginoso, apicultores, agricultores e grupos de desenvolvimento local, etc.

Os resultados da GTE1 e GTE2 são comunicados aos grupos de interessados relevantes; isto inclui parceiros associados ao projeto, assim como outras entidades identificadas durante o curso do projeto. A divulgação e comunicação dos resultados do projeto será levada a cabo através de vários meios, incluindo comunicações escritas e relatórios, apresentações, reuniões, workshops/seminários e um vídeo do projeto. Além disso, os resultados serão divulgados através de plataformas europeias de inovação.

C) Assistência técnica e aconselhamento para os investidores na GI

Com base nos resultados do GTE1 e GTE2, serão organizados workshops ou seminários técnicos especializados, visitas de campo e visitas de demonstração para transmitir os resultados técnicos aos profissionais incluindo agricultores, apicultores, técnicos de administrações públicas, etc. Os resultados técnicos também serão divulgados através de comunicações e relatórios escritos. Apresentações, reuniões e workshops.

D) Campanhas de sensibilização para o público

É crucial que o público em geral tome consciência dos perigos que ameaçam atualmente os insetos polinizadores e o serviço de polinização assim como sobre tudo o que está a ser feito para resolver este problema a nível regional. Uma campanha de conscientização pública irá cobrir a maior parte do prazo do projeto, envolvendo fontes de meios de comunicação públicas e incluindo a participação em reuniões especializadas, conferências, feiras de sustentabilidade, etc…

E) Disseminação nas esferas científica e técnica

Os resultados técnicos do projeto serão divulgados através das esferas técnicas adequadas, com base na produção de protocolos de projetos e livros brancos, publicações em jornais académicos e apresentações em conferências técnicas e científicas. Além disso, os resultados serão divulgados através de plataformas europeias de inovação.